Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Comunicados

01 de Fevereiro de 2007

FLEC - Assina: Stphane Barros Mangga

COMUNICAO DO SECRETRIO NACIONAL DO NKOTO LIKANDA

Memria e Nova conscincia p/ uma dinmica de vitria

Por ocasio da celebrao do centsimo dcimo segundo aniversrio do Tratado de Simulambuco, a Frente de Libertao do Enclave de Cabinda, informa atravs do seu orgo suprmo o Conselho Nacional do Povo de Cabinda/ Nkoto Likanda, a comunidade internacional, a angolana e de Cabinda em particular, a s/ posio poltica face aos recentes desenvolvimentos ( fracassos, recuos e falta de adeso popular na implementao) do acordo fraudulento dito de paz em Cabinda conseguido por mtodos anti-democrticos e inticos e como no podia deixar de ser, rejeitado sem apelo nem agravo pela esmagadora maioria do Povo de Cabinda. Este acordo que visa apenas expr os recursos estratgicos de Cabinda aos interesses selvticos do regime angolano de ocupao e das multinacionais sem escrpulos, no atenta aos direitos e interesses bsicos do Povo de Cabinda que passam pela justia e dignidade poltica em primeiro lugar seguidas da paz dos coraes ( contrria paz sitiada e musculada promovida pelo contingente militar angolano em Cabinda que prossegue em nome do memorando de entendimento e de um pretenso Estatuto Especial, a guerra do petrleo e de ocupao.

E, hoje, 01 de Fevereiro data histrica reafirmamos a identidade singular da entidade poltica e territorial de Cabinda distinta da de Angola conforme o reconhecimento da Sociedade das Naes, da organizao das naes unidas e da unidade africana hoje unio africana, dando cumprimento ao esprito e a letra do texto do Tratado ( artigo 3) que reproduz e traduz fielmente a vontade e o direito do Povo de Cabinda independncia que desejamos hoje mais do que no passado via acordo com angola ou referendo de autodeterminao por no ter sido garantida como se impunha naturalmente via descolonizao.

Cabinda, os Cabindas, e a Frente de Libertao do Enclave de Cabinda, dispensam em toda linha o actual processo de Paz e s/ premissas ilusrias por ser marginal, inconsistente e desajustado com o conceito de liberdade, de justia e paz verdadeira partilhado pelo povo de Cabinda, e por reflectir e replicar a inexistncia de seriedade e boa vontade poltica de angola na abordagem da soluo p/ o conflito e p/ a guerra em Cabinda, demonstradas saciedade em anteriores processos de conversaes (Safica, Luanda, Namibia, Brazzaville, Libreville e Chicamba) encetas pelo governo angolano e que ficaram marcadas pelo suspeio permanente e falta de confiana, viso e objectividade nas propostas de Angola.

E, por considerarmos o memorando de entendimento assinado entre Angola e Bento Bembe como um acto de traio, indignidade e oportunismo poltico e logo ferido de morte porquanto o processo consubstancia uma soluo marginal e marginalizante, ilegtima, ilegal, banal, exclusiva e sem concesses polticas, impe-se uma soluo internacional e democrtica. Da o apelo insistente da Flec e do Povo de Cabinda e a exigncia de um enquadramento internacional superior junto do Novo Secretrio Geral das Naes Unidas, o Embaixador Ban Ki Moon (oriundo de um pas a Coreia - que viveu a dramtica experincia da ocupao Japonesa 1905-1945) p/ se demarcar das teses oficiais e enganosas, desprestigiantes e desacreditadas do Estado Angolano que se reclama de Direito e convive alegremente com uma flagrante situao de ocupao do territrio de Cabinda onde as s/ foras militares, para-militares e agentes da polcia poltica continuam a praticar graves violaes dos Direitos Humanos e crimes de guerra, contra a humanidade e contra o meio ambiente.

Enquanto no for dado provimento e cumprimento s reivindicaes justas do Povo de Cabinda, a palavra de ordem congregar e mobilizar vontades talentos e recursos em torno da Frente de Libertao do Enclave de Cabinda, da s/ Liderana e Direco poltica e Estado-Maior operacional e resistir com toda energia e determinao contra a ocupao e indiferena da comunidade internacional acomodada aos factos consumados e s/ incapacidade de indignao e de reaco perante a vergonha do escndalo poltico-financeiro e humano do conflito de Cabinda e do memorando de triste memria de des (Entendimento) e da Paz vigiada e armada em Cabinda.

O Conselho nacional do Povo de Cabinda (Cnpc/ Nkoto Likanda) confirma e garante que o Povo de Cabinda est mais do que nunca unido e reunido em torno da Flec(s/ nico representante legtimo e histrico) e do s/ projecto humanista de emancipao poltica, de liberdade, justia e paz e ainda de progresso social p/ Cabinda.
.
Feito em Cabinda, a 01 de Fevereiro de 2007.

Pela Frente de Libertao do Enclave de Cabinda (FLEC)

O Conselho Nacional do Povo de Cabinda/ Nkoto Likanda.

Stphane Barros Mangga.
SECRETRIO NACIONAL

(c) PNN Portuguese News Network

2007-01-30 20:08:50

MAIS ARTIGOS...
  Associação Tratado de Simulambuco
  FLEC - Assina: Nzita Henriques Tiago
  FLEC - Assina: António Luís Lopes
  FCD - Assina: André Kuango
  FLEC - Assina: Martinho Lubango
  FLEC - Assina: Henriques Tiago Nzita
  FLEC - Assina: Isaïas Abdengo Mabiala e Antoine Nzita Mbemba
  Associação Tratado de Simulambuco
  FLEC - Assina: Joel Batila
  COMUNICADO / NECROLOGIA
  Assina: Raul Danda
  Conferência de Agostinho Chicaia

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais