Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Sociedade

Autoridades angolanas implicadas

Cabinda: Raptado o correspondente da Voz da Amrica

Cabinda - Jos Fernando Lello, correspondente da radio Voz da Amrica (VOA) em Cabinda foi raptado por indivduos fardados e fortemente armados, pertencentes s Foras Armadas de Angola (FAA) esta quinta-feira, 15 de Novembro, denunciou o activista cvico, Raul Danda.

Na quinta-feira, 15 de Novembro de 2007, Jos Fernando Lello, correspondente da Voz da Amrica em Cabinda e colaborador da empresa Algoa, empreiteira subcontratada pela Chevron, no Malongo, foi raptado por indivduos fardados e fortemente armados, pertencentes s FAA, entre os quais estaria o Comandante da Fora Area destacado na Plancie do Malembo e um oficial afecto ao Tribunal Militar de Cabinda denunciou Raul Danda.

Segundo o activista cvico os raptores chegaram de manh ao Gate I, porto de entrada n/o 1 do campo petrolfero do Malongo, transportados por duas viaturas, uma das quais de marca Toyota Land Cruiser, da unidade da Polcia Militar, para levarem a cabo a sua misso contaram com a colaborao dos efectivos da Tele-Service, segurana privada encarregue da proteco do campo.

Por volta das 10 horas, Fernando Lello, que pretendia deslocar-se cidade de Tchiowa, capital de Cabinda, em companhia de um colega de servio, apenas identificado por Kazy, foi interpelado por uma agente da Tele-Service, que pediu insistentemente que Lello no sasse do permetro do Campo sem antes conversar com os visitantes que, entretanto, tinham ocupado o gabinete operacional da Tele-Service. Enquanto Kazy esperava, Fernando Lello foi conduzido ao referido gabinete onde o azar o esperava. Depois da, ningum mais veria nem ouviria o jornalista, levado fora para destino desconhecido afirmou Raul Danda.

Os raptores ainda chamaram o Supervisor directo de Lello, o cidado portugus Victor Ramos, a quem quase ordenaram que despedisse a sua vtima, tendo-lhe, em seguida, entregue as chaves do seu carro pessoal. Em seguida, o jornalista foi conduzido para fora do Malongo e transportado sorrateiramente para Luanda, tendo sido imediatamente conduzido Cadeia do So Paulo. A famlia, em Cabinda, passou grandes momentos de tormento, pois a informao relativa localizao do Lello s foi obtida na sexta-feira, j no final do dia.

Contactado por alguns familiares, o supervisor Victor Ramos, teria dito que os militares mostraram-lhe um mandado de captura contra Fernando Lello, uma informao que, at ao momento, no pde ser verificada.

Fontes que contactaram Fernando Lello na cadeia onde est detido, disseram que ele acusado de ser promotor de uma suposta rebelio em Cabinda.

Segundo Raul Danda a situao das liberdades individuais em Cabinda deteriorou-se consideravelmente, aps a assinatura do dito Memorando de Entendimento entre Bento Bembe e o Governo Angolano, multiplicando-se os casos de prises arbitrrias e os actos de intimidao e de espancamento dos cidados de Cabinda.

Em Setembro de 2007, o relatrio da Amnistia Internacional (AI) denunciava que em Maio de 2006, agentes da polcia prenderam e detiveram brevemente Fernando Lello, quando este tirou fotos de agentes da polcia a espancar membros de uma congregao catlica que assistiam a uma missa de reconciliao especial na catedral da cidade de Cabinda.

Segundo a AI Fernando Lello foi conduzido Direco Provincial de Investigao Criminal (DPIC), onde a sua cmara e gravador foram confiscados e ele foi alegadamente espancado. Cerca das 15h30, seis horas aps a sua priso, Fernando Lello foi libertado sem culpa formada. Embora ele recebesse, mais tarde, o seu gravador, a cmara no lhe foi devolvida pela DPIC, no obstante inmeros pedidos.

Fernando Lello informou a Amnistia Internacional de que, no dia 28 de Setembro de 2006, no seguimento de queixas dele, por escrito, ao Ministrio do Interior, o ministrio enviou uma delegao de inspectores da Polcia Nacional de Luanda a Cabinda, a fim de investigarem o seu caso. Segundo Fernando Lello declarou AI, a delegao afirmou que a sua deteno tinha sido ilegal e uma violao dos seus direitos. Contudo, apesar desta afirmao, no houve aparentemente qualquer processo disciplinar contra qualquer agente da polcia e no foi oferecida qualquer compensao a Fernando Lello.

(c) PNN Portuguese News Network

2007-11-20 11:29:28

MAIS ARTIGOS...
  Cabinda: Morreu Joseph Boundji
  Cabinda: Agravamento do estado de saúde do padre Raul Tati
  Cabinda: Cuanga Sito e Mambuco Sumbo condenados
  Aumento do índice de fome na Guiné-Bissau, em Moçambique e em Angola
  Cabinda: Paca Peso absolvido no caso do ataque contra a equipa do Togo
  Gripe A: Fim da pandemia
  Cabinda: Human Rights Watch pede anulação de sentenças
  Cabinda: A justiça face às suas contradições
  Cabinda: Proibida marcha pelos direitos humanos
  Situação em Cabinda em relação aos defensores dos Direitos Humanos
  Naomi Campbel agride motorista e foge
  Gripe: OMS recomenda vacina contra três tipos de vírus incluindo o H1N1

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais