Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Poltica

Estrangeiros ameaados

Cabinda: O objectivo era cortar cabea aos chineses

Cabinda - Mgoa Mundombi, alcunha do guerrilheiro que disparou o primeiro tiro na emboscada contra trs camies que transportavam trabalhadores chineses em Cabinda, disse PNN que o objectivo era cortar cabea aos chineses e garantiu que todos os estrangeiros so alvos.

Em resposta reaco do ministro sem pasta angolano, Antnio Bento Bembe, que negou a emboscada contra os trabalhadores chineses em Cabinda, um dos operacionais do comando da resistncia que efectuou a operao disse PNN, em entrevista telefnica, que a emboscada foi previamente preparada nas matas.

Mgoa Mundombi, nome de guerra do combatente, precisou que a operao mobilizou 42 homens que caminharam na mata durante cinco dias, at ao ponto estratgico, chegados ao local separaram-se em vrios grupos e esperaram durante uma noite a chegada da coluna de veculos da empresa construtora chinesa. s 06:00 horas tiveram a primeira informao que indicava a aproximao dos veculos.

Deixamos passar o primeiro veculo que transportava militares angolanos. Com a chegada do segundo camio, com os chineses, disparei os primeiros tiros garantiu Mgoa Mundombi, depois os meus camaradas dispararam tambm. Imediatamente os guerrilheiros cortaram a estrada impedindo o avano dos camies, compreendo que estavam cercados os trabalhadores chineses no reagiram.

O nosso objectivo era cortar cabea aos chineses e mostra-las como prova que h guerra em Cabinda afirmou Mgoa Mundombi, mas quando foram alertados, por outros guerrilheiros que garantiam o permetro de segurana aco, da aproximao de veculos militares angolanos retiraram para as matas depois de destrurem dois camies.

Vamos continuar a atacar os estrangeiros, vamos bater os brancos, fomos formados para isso afirmou o mesmo guerrilheiro, qualquer tipo de nacionalidade alvo, mas pior ser para os portugueses porque Portugal o pai dos nossos problemas, acrescentando: agora no haver raptos, agora matamos.

Angola reconheceu o incidente mas atribui a autoria do ataque a bandidos provenientes do interior da cidade de Cabinda.

No entanto, como represlia as Foras Armadas Angolanas, FAA; procederam a numerosas rusgas nas aldeias de Liamboliona e Ueca. Populares indicam que com a interveno das FAA cinco pessoas desapareceram e foi detido o chefe da aldeia Liamboliona na priso Tchibueti junto a Massabi.

RN

(Foto: imagem de arquivo)

(c) PNN Portuguese News Network

2009-03-31 18:29:08

MAIS ARTIGOS...
  Morreu Nzita Tiago, líder histórico da resistência cabindesa
  Guerrilha em Cabinda anuncia novos ataques no enclave
  Guerrilha cabindesa anuncia retoma da via militar
  Guerrilha cabindesa ataca em Buco Zau
  Emboscada da guerrilha causa a morte de três soldados angolanos
  FLEC pede a Marcelo Rebelo de Sousa para terminar o processo de descolonização portuguesa
  Cabinda: FLEC/FAC exige a libertação de Marcos Mavungo
  Cabinda: Raul Tati e Francisco Luemba libertados
  França: Dois juízes antiterroristas querem a detenção de Rodrigues Mingas
  Cabinda: José Eduardo dos Santos demite e readmite Macário Romão Lembe
  Suíça: Manifestação cabindesa em Berna
  Cabinda: Ataque da resistência amplifica divisões na FLEC

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


Comentrios
  
1  2014-12-17 17:08:19
1

A  2012-09-05 17:17:25
Nos nao queremos etonomia nos quermos a Independecia em cabinda por isso havera uma querra que todos nos iremos pegar as catana combater contra os nossos daversario que se chama ZD ELE E burro e tambem este e o ultimo ano que ele volta a mandar os angolanos

PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais