Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Cultura & Media

Distncia geogrfica como argumentos

Timor-Leste: A lngua Portuguesa em Dvida

Dli - A manuteno do Portugus como lngua oficial de Timor-Leste tem vindo, nos ltimos meses, a ser questionada por vrias vozes da sociedade timorense. Na base das crticas esto argumentos como a distncia geogrfica que separa o pas de qualquer um dos seus parceiros da CPLP e o facto de grande parte da populao entender as lnguas dos dois principais pases vizinhos (bahasa indonsio e ingls).

Muitos defendem ainda que o prprio Ttum poderia assumir em exclusividade o papel de lngua oficial. No entanto, normalmente omitida a existncia de pelo menos 15 variantes do Ttum e muitos outros dialectos locais. Omitido tambm o facto do Ttum ser uma lngua incompleta que continua a assimilar neologismos, designadamente do Portugus. Hoje, a lngua portuguesa um smbolo da identidade nacional timorense, depois de se ter tornado o principal veculo de comunicao durante os anos da Resistncia ocupao indonsia. Este papel central na civilizao timorense reflexo da ligao existente entre o portugus e o ttum, segundo a expresso do linguista australiano Geoffrey Hull, que aponta tambm as eventuais consequncias negativas que poderiam advir da adopo da lngua de Shakespeare para o desenvolvimento da prpria lngua nacional.

A batalha da lngua, muitas vezes travada na sombra do poder, ganhou novo lan em Maro com as declaraes do CEMGFA Taur Matan Ruak, um reconhecido defensor da herana nacional, a propsito do uso do Portugus como lngua nos tribunais. Divulgadas exausto como sinal oficial de desacordo manuteno do portugus como lngua oficial, saram reforadas pelas declaraes do n. 2 das Naes Unidas, Finn Reske Nielsen na Conferncia Internacional de Dili em Abril, em que este questionou, de forma aberta, o uso da lngua portuguesa em Timor-Leste. Declaraes estranhas para a habitual poltica de neutralidade das Naes Unidas mas que foram obviamente aproveitadas pelos anglfonos para atacar um dos elementos do patrimnio histrico timorense.

Kirsty Gusmo, Embaixadora da Boa Vontade para a Educao, tambm nomeada Presidente da Comisso Nacional de Educao (CNE) - e esposa do Primeiro Ministro Xanana Gusmo - tem usado como estratgia para a defesa do Ttum o ataque lngua lusa, posio habitualmente mantida pela comunidade anglo-saxnica.

No entanto, esta estratgia poder acabar por se revelar a prazo perigosa. A alfabetizao na lngua materna agravar ainda mais a fragmentao lingustica existente na ilha do crocodilo, expondo as divises etno-lingusticas que subsistem no territrio. Por outro lado, dada a relao de absoro entre o ttum e o portugus, o afastamento do segundo pode resultar numa vulnerabilidade do primeiro.

Paralelamente, o afastamento do portugus, at agora visto como factor diferenciador no enquadramento geo-estratgico e passvel de trazer vantagens pela integrao numa comunidade de 200 milhes de falantes, esconde-se sob o vu de uma estratgia para a educao.

A realidade demonstra as limitaes que tal estratgia pode encobrir. O relatrio a apresentar, at ao final de 2010, pelo Grupo de Trabalho para a Linguagem na Educao, criado pela CNE, com o propsito de defesa do Ttum, pode abrir as portas imploso de todo o esforo de preservao da herana cultural e histrica.

Alm disso, nesta tentativa de abolio da lngua portuguesa, e de defesa do ingls e do bahasa indonsio, no ser de esquecer a interferncia de novos actores, e dos seus interesses em vrios sectores, que tm vindo, progressivamente, a assumir as suas tendncias externas.

O portugus hoje falado no mundo por mais de 200 milhes de pessoas e a sua crescente relevncia no mundo moderno reflecte-se na sua adopo como lngua de trabalho em diversas organizaes internacionais. No ser por acaso que uma das portas de entrada da China em frica ocorre por via do Frum Macau, sustentado pela partilha da mesma lngua. O acordo ortogrfico veio tambm limar os obstculos que travavam uma maior expanso lingustica, permitindo a sua plena assuno como quinta lngua com mais falantes no mundo, e a prazo, uma das lnguas oficiais das Naes Unidas.

(c) PNN Portuguese News Network

2010-05-03 22:29:46

MAIS ARTIGOS...
  Moçambique: Restos mortais do «Mestre» chegaram hoje em Maputo
  Al-Qaeda no Magrebe e a Venezuela à beira de um ataque de nervos em destaque
  Estratégia angolana para hegemonia regional e o assalto à Guiné-Bissau em destaque
  Lançamento do livro «Os Anos da Guerra Colonial»
  Dili aprova resolução em favor do uso do português
  Lara Stone consegue indemnização da Playboy
  Barack Obama em África e eleições no Brasil em destaque
  Morreu a soprano Joan Sutherland
  Argélia, Cabinda e Guiné-Bissau em destaque
  Argélia, Cabinda e Guiné Bissau em destaque
  Vai ser possível telefonar através do Gmail
  Zsa Zsa Gabor em estado «extremamente grave» pede extrema-unção

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


Comentrios
  
jucelina maria da silva  2012-06-01 04:14:33
bom dia senhora estou aqui queria a sua ajuda para explicar sobre a historia lingua portuguesa e vantagem e desvantagem da lingua portuguesa em timor leste,
espero a sua resposta.
muito obrigado


LUIS MANUEL SIMES DE S NOGUEIRA  2012-04-09 00:26:12
DE FACTO RIDICULO QUANDO AS PESSOAS ESTO PREOCUPADAS COM O FACTO DE EM TIMOR O PORTUGUES SE AFIRMAR COMO LINGUA NACIONAL, PRINCIPAL DE TIMOR LESTE. EU DEVO AFIRMAR-VOS QUE ANGOLA O MEU PAS DE NASCIMENTO ADOPTOU O PORTUGUES COMO LINGUA VEICULAR, AO LADO DE MAIS DE DEZOITO LINGUAS NACIONAIS AFRICANAS FALADAS EM ANGOLA. NINGUEM FALOU EM LINGUA NACIONAL E A VERDADE QUE O PAS SZINHO SEM QUALQUER AJUDA DE PORTUGAL E OUTROS FALANTES DE PORTUGUES, HOJE QUASE TODOS OS CIDADOS ANGOLANOS FALAM PORTUGUS E UMA GRANDE PERCENTAGEM ESCREVE EM PORTUGUS. NUMA DETERMINADA ALTURA A MAIOR PARTE DOS COOPERANTES DA EDUCAO, SADE, CONSTRUO, ETC ERAM CUBANOS, FALANTES DE ESPANHOL, NO ENTANTO O POVO ANGOLANO NO FOI INFLUENCIADO POR ISSO. EU DEVO ESCLARECER QUE PORTUGAL DEIXOU A ANTIGA COLONIA COM 90% DE ANALFABETOS, QUERO COM ISTO DIZER QUE PRATICAMENTE O INVESTIMENTO PORTUGUS NO DOMINIO DA EDUCAO ESTAVA VIRADO PARA OS SEUS NACIONAIS RESIDENTES E UMA PEQUENA PERCENTAGEM DE ANGOLANOS. EU QUERO DEIXAR BEM CLARO QUE S OS TIMORENSES VO DITAR AS REGRAS DO JOGO, NO VALE A PENA FORAR, O POVO VAI DECIDIR O QUE QUER.

PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais