Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Poltica

Reunidos em Saint Denis na periferia de Paris

Cabinda: Em plena tormenta a FLEC na Europa tenta reconstruir-se

Paris O Nkoto Likanda, Conselho do povo de Cabinda, rgo supremo da FLEC reuniu de 20 a 22 de Agosto num modesto hotel em Saint Denis na periferia parisiense. Anny Kitembo foi nomeado vice-presidente do movimento e Afonso Massanga assume a pasta das relaes exteriores.

Apesar de necessitar de um qurum de 60 delegados, como prev os estatutos da FLEC, o incio dos trabalhos do Nkoto Likanda, que Nzita Tiago qualificou como um encontro de anlise politica, arrancou porta fechada esta sexta-feira, 20 de Agosto, com cerca de duas dezenas de participantes.

Depois de um arranque atribulado motivado pela contestao de Rodrigues Mingas (FLEC-PM) e Mangovo Ngoyo, alis Rui Garrido, sobre supostas irregularidades na eleio de Anny Kitembo para a vice-presidncia, inicialmente obtida por Stphane Barros, secretrio-geral do Nkoto Likanda, a calma regressou e os presentes elegeram Afonso Massanga como titular da pasta das relaes exteriores do movimento, ocupando assim o lugar de Martinho Lubango que se demitiu, juntamente com Francisco Lubota e Antnio Chibinda, a 04 de Julho deste ano.

Por imposio de Nzita Tiago, Joel Batila mantm-se como secretrio-geral do movimento. Uma atitude criticada por alguns participantes que margem da reunio consideraram que o lder da FLEC pretende manter o controlo do movimento eternamente. Alegaes desmentidas por Nzita Tiago que insiste que quer passar o testemunho da liderana aos mais jovens.

No comunicado final o Nkoto Likanda considera que a FLEC est a fazer face a uma grave situao de crise politica provocada pelo golpe militar inspirado pelo regime de ocupao colonial do governo angolano do MPLA a qual vai atrasar o processo de dilogo. Reafirma o objectivo o direito auto determinao e independncia do povo de Cabinda. Manifesta indignao pelas condenaes dos activistas cabindeses dos direitos humanos, e apena a anulao das suas penas. Incita a populao e os refugiados a no desmobilizarem.

Desde o incio de Agosto de 2007, quando decorreu em Paris a ultima reunio do Nkoto Likanda, a FLEC mergulhou numa profunda crise. A turbulncia comea com o afastamento de Antoine Nzita, Xavier Builo, Jacques Gieskes, Andr Quinta e Virginie Mouanda, que constituram o designado G5, Grupo dos Cinco. Apesar de no manifestarem o desagrado sobre a composio do novo Governo de 2007, os militares em Cabinda contestam privadamente essas resolues.

Mais de 50 por cento dos membros que constituam o Governo da FLEC, recomposto em Agosto de 2007, demitiram-se nos ltimos trs anos. A mesma percentagem demitiu-se da Comisso Politica Permanente da FLEC.

Em 2009 um grupo constitudo pelas principais chefias militares da FLEC em frica comeam a criticar a estratgia diplomtica definida pelas representaes do movimento na Europa. Aps duas deslocaes de uma delegao de militares a Paris, concluram que as estruturas da FLEC na Europa estavam divididas, desorganizadas e incapazes de prosseguir com a aco diplomtica.

Como consequncia, a 29 de Junho de 2010, em concertao com as chefias militares, Estanislau Miguel Boma, Chefe de Estado-maior da FLEC, decide reformar Nzita Tiago e exonerar todos os representantes no estrangeiro do movimento. Imediatamente o lder histrico da FLEC riposta e exonera, por sua vez, o vice-presidente Alexandre Tati, Estanislau Boma, Jos Veras e Carlos Moiss que constituem a coluna vertebral da ala armada da FLEC. Gabriel Nhemba Pirilampo indicado como o sucessor de Estanislau Boma e incumbido de reorganizar a guerrilha mergulhada no furaco das demisses, exoneraes e nomeaes.

As exoneraes de Nzita, assim como as suas nomeaes ou as decises da reunio de Paris, no tm qualquer legitimidade porque todos foram exonerados, disse Alexandre Tati.

Outro factor determinante para a convocao da reunio extraordinria do Nkoto-Likanda que decorreu este fim-de-semana est directamente associado multiplicao dos encontros preliminares com o Governo angolano do grupo de militares chefiados por Alexandre Tati e Estanislau Boma, assim como com a deciso de prolongar sine die o cessar-fogo unilateral declarado aps o ataque de a 08 de Janeiro de 2010 em Cabinda contra a delegao togolesa de futebol que participava no CAN.

O Nkoto Likanda, Conselho do povo de Cabinda, designado como rgo supremo da FLEC, foi criado a 29 de Agosto de 2004 em Helvort, Holanda, no final das reunies que resultaram na fuso dos dois principais movimentos armados de Cabinda, FLEC/FAC e FLEC Renovada.

Segundo os seus estatutos, assinados por Nzita Tiago, Antnio Bento Bembe, Agostinho Chicaia e Raul Tati, ento vigrio geral de Cabinda, o Nkoto Likanda dever ser composto por 60 membros delegados das estruturas de base do movimento e da sociedade civil que devem reunir todos os dois anos.

Rui Neumann

(c) PNN Portuguese News Network

2010-08-23 12:30:18

MAIS ARTIGOS...
  Morreu Nzita Tiago, líder histórico da resistência cabindesa
  Guerrilha em Cabinda anuncia novos ataques no enclave
  Guerrilha cabindesa anuncia retoma da via militar
  Guerrilha cabindesa ataca em Buco Zau
  Emboscada da guerrilha causa a morte de três soldados angolanos
  FLEC pede a Marcelo Rebelo de Sousa para terminar o processo de descolonização portuguesa
  Cabinda: FLEC/FAC exige a libertação de Marcos Mavungo
  Cabinda: Raul Tati e Francisco Luemba libertados
  França: Dois juízes antiterroristas querem a detenção de Rodrigues Mingas
  Cabinda: José Eduardo dos Santos demite e readmite Macário Romão Lembe
  Suíça: Manifestação cabindesa em Berna
  Cabinda: Ataque da resistência amplifica divisões na FLEC

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


Comentrios
  
andre mingas  2011-06-22 14:21:54
esta terra desde que foi vendida por causa do vinho assim tambem continuaremos nos traindo uns aos outro por causa do dinheiro.se a revolucao for feita com este espirito nunca alcancaremos os intentos desta causa.

Na America  2011-04-28 20:37:42
Pessoalment nao vejo o que e que o sr Nzita Tiago faz em Paris e os seus membros tambem. Se fazermos um balanco de curto prazo ou medio prazo num intervalo de 5 a 10 anos, voces todos ai em Paris e na Europa nao fizeram nada. Sao camadas de oprtunistas, que vivem da mesada de Jose Eduardo dos Santos e o povo em Cabinda a sofrer em Cabinda. Voces devem sentir-se envergonhados de sempre usarem o nome da Flec. Eu pergunto o seguinte: Qual e a vossa agenda ai? Mentirosos!!!!!

  2011-04-11 22:21:42
fora

chimpolo zacarias  2010-11-29 17:56:29
meus irmaos, acho que ja e o momento de comecarmos a pensar em desenvolvimento porque, esta mais que provado que por frca das armas, nao vamos a lugar nenhum.
e hora de pararmos e refletirmos; que nacao e que queremos, que tipo de pais e que pretendemos construir amanha, de analfabetos, de delinquentes que nada sabem ou tem, e ignorantemente querem governar? o mpla so esta como esta porque, tem homens fortes e inteligentes capazes de, dar resposta a tudo que der e vier.
por isso meus irmaos, como diz um velho adagio, "nem tudo que um louco fala e insignificante quem tem ouvidos ouca.

Cabinda so sera um pais se, os filhos desta terra tornarem-se fortes e inteligentes lembrem disso.


X.cadete  2010-11-19 22:16:42
Em Cabinda quem fala a verdade e morto ,tais como jornalistas,e muitos que somos contra e cansados deste governo corrupto,incopetentes... deve ser morto imediato.Eu quero me vingar com o meu irmao, DICIDO ,que o MPLA envenenou tambem porque aceitou a vir juntamento com o falso,pirata Beto Bembe corrupto...

xavier Cadete  2010-11-19 22:01:31
Sou muito novo, muito ja entendo da realidade do nosso territorio cabindes, e quase nada sei da politica,mais sou quero realcar q o povo cabindes ja esta cansado de sofrer com as violacoes de direitos humanos,com a politica do partido do poder,portanto q os dirigentes da flec apostam na formacao politica dos jovens de origem,visto q ja trabalho no campo petrolifero a mais de 8 anos mas nada tenho, porque pra o melhor gatuno Ze du coco o estrangeiro esta em 1,2,3 lugar o contrario do q o doctor Savimbi dizia.Por mim aceitaria a morrer como os talibans morrem minado juntamento com o inimigo.

paulozolozolo  2010-11-06 22:30:51
a guerra em cabinda so acaba se a riqueza a cabar ser cabinda e ser estrageiro mun seu proprio pais,o problema de cabinda so deus e quem sabe

zau gomes  2010-09-28 00:30:24
Mr NZITA HENRIQUES TIAGO RESTE LE SEUL ET LUNIQUE LEADER CHARISMATIQUE DE FLEC FAC,IL EST BEL ET BIEN EN VIE ET POURRA ENCORE VIVRE LONGTEMPS JUSQU A CE QU IL DONNERA L INDEPENDANCE AUX PEUPLES CABINDAIS,PERSONNE VA ENTICIPE SA MORT

PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais