Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Angola

Estado da Nao

Angola: Presidente angolano admite ameaas segurana em Cabinda

Luanda O Presidente angolano, Jos Eduardo dos Santos, admitiu este sbado, que existe um problema de segurana em Cabinda.

As declaraes de Jos Eduardo dos Santos fizeram parte do discurso de sexta-feira sobre o Estado da Nao perante a Assembleia Nacional. No discurso, o Presidente angolano optou por se afastar da linha de discurso seguida em anos anteriores e que considerava a questo de Cabinda um assunto resolvido.

Para o Governo angolano, baseando-se no memorando de entendimento de 2006, Cabinda est pacificada mas a dissidncia poltica e as actividades da FLEC no pararam. Jos Eduardo dos Santos referiu o apoio externo a foras que ainda procuram desestabilizar o clima de paz existente, o que acontece em especial na provncia de Cabinda, e prejudica os esforos que o Executivo continua a fazer para estabilizar a provncia.

De entre as ameaas e riscos que Angola enfrenta, o Presidente referiu os conflitos na frica Central e na regio dos Grandes Lagos, em particular na vizinha Repblica Democrtica do Congo, que, pela proximidade das fronteiras, pode facilmente afectar ou ter consequncias no territrio angolano.

(c) PNN Portuguese News Network

2010-10-18 12:33:58

MAIS ARTIGOS...
  Angola: Zonas rurais com água até 2012
  Angola: FNLA considera 4 de Fevereiro dia de reflexão
  Angola: EUA financiam combate à malária
  Angola: Relações com a China analisadas em conferência
  Angola: Baía de Luanda renovada apresentada em 2012
  Angola: Missão da UNICEF debate combate à poliemielite
  Angola: Detidos suspeitos de falsificar documentos
  Angola: Primeira exportação de gás natural liquefeito em 2012
  Angola: Programa de fomento habitacional prevê novas áreas urbanas
  Angola: Bolsas de estudo cubanas aumentam este ano
  Angola: Primeira viagem do Expresso entre Luanda e Malanje demorou dez horas
  Angola e Namíbia reforçam relações de amizade e cooperação

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


Comentrios
  
rwnrspgc  2010-10-24 14:59:30


Cabinais Libre ( Necuto Opositor)  2010-10-22 16:58:20
Quelque soit la longueur dela nuit, le jour viendra. Chers Angolais, soyez prudents, car sinon cel peutv vous couter trop cher. Les Cabindais maintenant et jamais nauront plus peur de personne. Il est temp que vous pouissiez penser avant qu'il ne soit trop tard. Nous Cabinais aprs avoir suporter tout ce que les angolais nous ont fait, nous voils toujours fermes avec une mme decision: L'independence. Une position contraire a, ce ne que Dieu peut le savoir. A cause de nos compatriotes qui sont en prison, eux nous demandos qu'ils continuent avec la mme fermete car la raison vaut mieux que la force.

hagger mavinga  2010-10-20 18:41:48
A historia monstra-nos que mesmo os mas fracos podem ser suficientemente fortes para vencer os mas fortes.
Chegou o momento em que nao podemos estar calados perante o sofrimento do povo de cabinda.
Nos desejamos a paz para angola e tambem desejamos que angola nos deixe em paz, os angolanos devem retirar os 40 mil efetivos das faa que actua como fora da ocupaao.
CABINDA MBEMBU I MUEKA...... U TOTU MUEKA


m'fumu buala  2010-10-20 13:07:04
vouloir ou pas il y aura un jour

Leo Mazunga  2010-10-19 21:56:17
Nenhuma potncia capaz de travar a luta de um povo. CABINDA, vive e vever, hoje e para todo sempre, como nao livre e soberano. Goste que gostar, seno...inh. Tou nem a...I love my home, Cabinda...

Filho do Ngoio


pmacaia  2010-10-19 11:52:48
caros imos angolanos pode nao existir nem um elemento desta gerao cabinda ser sempre uma dor de cabea para voces, isto prq no acreditarem no velho ditado que diz tchako-tchako tchingana tchingana isto o que seu seu,o que do outro do outro.

Mnata Ntima  2010-10-18 13:15:04
1-A questo de Cabinda, ao longo do discurso do PR de Angola, era antes, tcitamente analisada quando o mesmo criticava o trabalho da justia, pelo facto de, em Cabinda vigorarem ainda, as leis caducas da antiga segurana de estado e que no so empregues em nenhuma parte de Angola.Isto foi para demonstrar de que, "Cabinda uma particularidade, no contexto africano e angolano".

2-Ao afirmar que o dito memorando de entendimento, no est concluido, dizia-o tcitamente de que,o chamado memorando no existe, nem deve ser considerado, pois que a prtica no terreno j o demonstrou, na medida em que o mesmo condiciona o arranque negocial e que pensamos Angola querer corresponder iniciativa da FLEC j demonstrada pelo cessar-fogo unilateral que vigora desde Janeiro prximo presente.

3- de notar que, desde 2006, em Cabinda nunca houve aces militares de vulto do lado da FLEC, mas esta tem rechassado todas as aces militares de grande invergadura que o exrcito de ocupao tem levado a cabo contra as suas posies,para alm das actividades politicas internas que se intensificam dia a dia que, at levariam o MPLA perder as legislativas naquele Enclave em 2008, no fosse o papel de "sorrista" das enginherias de Kopelipa e que a oposio nem soube deplorar, pois que das poucas urnas depois de saberem que o eleitorado era apelado favor da UNITA, unicamente deixaram de distribuir mais urnas aos postos onde o povo aguardava incasavelmente.

4-O prprio PR, demonstrou aquando da entrada em vigor do primeiro governo da 3 Repblica que o memorando de Bento Bembe, no tinha nenhum valor porquanto , o mesmo passou a ser um Secretrio de EStado com funo executiva, o que demonstrou aos mais atentos de que, unilateralmente o governo abandonara o dito "memorando", embora o Bento Bembe no o soubesse nem sabe interpret-lo, pois ele pensa que, tudo est bem.


PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais