Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Poltica

Um cargo assumido no quadro dos Acordos do Namibe

Cabinda: Jos Eduardo dos Santos demite e readmite Macrio Romo Lembe

Cabinda Anunciado em finais de Novembro, Macrio Romo Lembe, um dos braos direitos de Antnio Bento Bembe, foi oficialmente exonerado do seu cargo como vice-governador de Cabinda para o sector empresarial privado.

Ex Secretrio Geral da FLEC Renovada, Macrio Romo Lembe, participou activamente no processo de rendio do movimento liderado por Antonio Bento Bembe que resultou no Memorando de Entendimento e consequentemente nos Acordos do Namibe em 2006.

Previsto durante as negociaes para a rendio os quadros dirigentes da FLEC Renovada, assim como elementos civis que entretanto se aproximaram do movimento, assumiriam cargos superiores nas empresas publicas angolanas e na administrao. Macrio Romo Lembe foi assim nomeado vice-governador de Cabinda para o sector empresarial privado, enquanto foi atribudo ao lder do movimento, Bento Bembe, o cargo de Ministro Sem Pasta, entretanto exonerado dessas funes e nomeado Secretario de Estado para os Direitos Humanos.

Juntamente com Macrio Romo Lembe, foram demitidos Feliciano Lopes Toco, do posto de vice-governador de Cabinda, Antnio Manuel Gime, tambm vice-governador, Aldina Matilde de Barros da Lomba, vice-governadora para o Sector Politico e Social, Vicente Tlica, vice-governador para os Servios Tcnicos e Infra-estruturas.
A 30 de Novembro Jos Eduardo dos Santos empossou Macrio Romo Lembe, como vice-governador da provncia de Cabinda para o sector Econmico, Aldina Matilde de Barros da Lomba, para o Poltico e Social e Vicente Tlica, para o dos Servios Tcnicos e Infra-estruturas.

(c) PNN Portuguese News Network

2010-12-03 11:50:11

MAIS ARTIGOS...
  Morreu Nzita Tiago, líder histórico da resistência cabindesa
  Guerrilha em Cabinda anuncia novos ataques no enclave
  Guerrilha cabindesa anuncia retoma da via militar
  Guerrilha cabindesa ataca em Buco Zau
  Emboscada da guerrilha causa a morte de três soldados angolanos
  FLEC pede a Marcelo Rebelo de Sousa para terminar o processo de descolonização portuguesa
  Cabinda: FLEC/FAC exige a libertação de Marcos Mavungo
  Cabinda: Raul Tati e Francisco Luemba libertados
  França: Dois juízes antiterroristas querem a detenção de Rodrigues Mingas
  Suíça: Manifestação cabindesa em Berna
  Cabinda: Ataque da resistência amplifica divisões na FLEC
  Cabinda: FLEC reconhece que a sua luta está numa «situação catastrófica»

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


Comentrios
  
Tango Mbata  2011-10-26 08:30:48
Que vergonha senhor Bento e Lembe"Angolan government consider you as puppits" se um Cabinda fica livre como vao enfrentar a vossa traicao?

Pedro Fuca Vungo  2011-04-17 11:36:39
Preciso conhecer os factos historicas da provincia de Cabinda...

14.04.2011  2011-04-14 15:21:12
sera q ninguem ns oica? qntas vzs reclamamos q o sr. joao baptista mawete n merece ser govrnador d cabinda? ns tamos a sofrer o pior desde a sua chgada. n ha agua, nem energia. mawete esta totalmente a violar os diereitos humanos em cabinda. ms eu prgunto; qual o papel d ONU nesta brincadeira do mundo, q dsconsegue velar pela paz? n ha paz em cabinda. qrmos lipanda. VIVA FLEC!!!!!

Antunes  2011-02-22 11:43:03
O senhor Presidente Santos faz bem nomear pessoas da provincia de Cabinda, para cargos, tal como vi com os senhores Macario e outros. Mas gostaria que em 2012 um natural desta provincia se apresentasse tambm nas eleioes presidenciais. Somos todos Angolanos, nao?

  2011-01-25 10:39:11
No diovulgo o meu nome porque sou democrtico e no mentiroso, quero que o Mawete saia de cabinda porque no sabe o que est a fazer, e quanto ao Dom Filomeno Vieira Dias veio para destruir a igreja de cristo. Infelizmente o SR. presidente Jos Eduardo no vive em cabinda por isso no conhece a realidade e a verdade desse povo que tanta riqueza tem mais a nvel de todo Pais o que mais sofre. EX: Se os dois congos feicharem as suas fronteiras s haver fome e mortes e dizem que somos angolanos.

Tchali ai Tchunda  2010-12-25 03:01:48
Carta aberta Sua Excelncia Eng. Jos Eduardo dos Santos, Presidente da Repblica;
Ao Comit Central e Bureau Poltico do MPLA

Meus Senhores, os meus respeitosos cumprimentos

O Exponente desta missiva no poltico, apenas apraz-me fazer uma alerta que julgo ser bastante oportuna.

Sr. Presidente e caros membros C.C. e B. P. do MPLA, aproxima-se o ano 2012 que provavelmente teremos eleies em Angola, e isto deixa-me preocupado por ser simpatizante e amigo do nosso glorioso MPLA e do seu Presidente. Se o MPLA pretende vencer eleies no circulo provincial de Cabinda, deve e urgente rever a situao do Sr. Mawete Joo Baptista, este homem num pas democrtico como se diz ser o nosso e em pleno Sc. XXI em que a sociedade o que , um dirigente fora do contexto, j no se admitem homens ditadores a dirigerem em plena democracia. A sua forma de dirigir deixa o povo de Cabinda bastante indignado, fazendo mesmo at ressussitar o famoso "caso Cabinda" que muitos j nem gostam se lembrar. Este General Mawete julga estar num quartel militar chamado Cabinda, onde dirige e comanda as tropas a seu bel prazer sem respeito nem d de ningum. Ser que a sua nomeao para este cargo de governao passou por uma censura dos rgos de direito do partido acima citados? E que naturalmente reconhecemos a sua idoneidade? Um homem rejeitado pelo seu prprio povo no Uige enviado a governar Cabinda, acho que foi um erro crasso e enorme que deve ser urgentemente corrigido sob consequncias graves de levar o partido e seu Presidente a perder muitos votos nas prximas eleies nesta parcela do territrio nacional. O Sr. Mawete mostra-se disposto a derrubar ou destruir tudo o que da governao de Anbal Rocha e seus aliados, como ele prprio afirma, com argumentos e suporte da famosa tolerncia zero declarada pelo Chefe do Executivo mal interpretado e aplicado por si, quando sabido que o mesmo Sr. veio pobre Cabinda e est a encher o seu bolso e sair daqui rico. Dono de grandes armazns, e empresas em nome de outras individualidades. Excelncias, espero que no me achem de estar a fazer poltica a favor ou desfavor deste ou daquele, sou um pacato funcionrio pblico e sinto o povo de Cabinda a gemer de sofrimento ao ponto de faltar at o habitual cabaz de natal a favor de uma cesta bsica insignificante. A cidade de Cabinda foi sempre uma das mais limpas de Angola, mas hoje lamentvel ver as ruas todas esburacadas, cheias de lixo e areias causada pelas chuvas, tudo isto porque o Sr. Mawete abdicou-se das empresas RESI e Obras Pblicas locais que cuidavam da limpeza da cidade e seus arredores, romovendo os resduos slidos e as operaes de rotina de tapa buraco. Tudo isto porque o Sr. Mawete associou-se com um tal famoso Eng. Menga seu amigo desde os seus tempos de embaixador na RDC onde este ltimo se encontrava a estudar, e o mesmo gestor dos seus interesses, fazendo cobertura dos investimentos do Governador em nome da sua empresa Menga Engenheria, empresa esta conhecida em Cabinda como especialista em electricidade e que agora faz at obras de construo de estradas e pontes mal feitos por falta de tecnologia e experincia neste domnio, em detrimento das grandes empresas competentes e conhecedoras da matria, capacitadas e com experincia demonstrada porque j fizeram grandes obras nesta Provncia, como o caso da EMCICA, TECNOVIA e MOTA ENGIL. Excelncias, convm referenciar que neste momento em Cabinda s duas empresas ganham obras, Menga Engenharia (onde esto salvaguardados os interesses do chefe) e HAL para confundir a opinio pblica. Os emprrios em Cabinda fazem grito de socorro sob pena de fecharem as portas porque j no sabem o que fazer, a gesto da coisa pblica est girando em torno de uma s pessoa, penalizando as empresas privadas que na sua maioria dependem do Estado para o seu desempenho uma vez que o seu capital ainda no suficiente para uma independncia total dos fundos do Estado, tendo desempregado a maior parte dos seus funcionrios aumentando deste modo o ndice do desemprego na regio. (Alis sabido que tarefa do Estado criar riqueza atravs das empresas privadas, e estas por sua vez como parceiras do Governo empregar os jovens desempregados, j que o Estado por si s no pode ser o nico empregador). Tudo isto quem ser castigado o MPLA e seu Presidente nas eleies, j que por tudo o que conversa em Cabinda coloca-se em causa o nome destas entidades. Por favor volto a repetir, no me tenham de poltico, no tenho motivo de defender nenhum interesse de quem quer que seja, mas como o povo no sabe onde levar as suas reclamaes e gritos, aproveito esta via, (pese embora no ser a mais correcta) para ajudar o meu povo a fazer o seu grito de socorro porque j estamos fartos e cansados deste homem ditador em plena era moderna, um chefe que nem mesmo respeito tem dos seus mais directos colaboradores, (os famosos Secretrios Provinciais) que noutras Provincias equiparam-se com os Directores Provnciais, trata-lhes como se reclutas fossem perante um general do exrcito. urgente por favor meus senhores, est chegando o ano 2012, l vem as eleies, seno no lamentam os resultados, e no digam que no avisamos, lembram-se do velho ditado portugus "quem avisa amigo ". Obrigado pela ateno!


iyembi  2010-12-24 09:31:06
muito bom gostei muito da prestao de feliciano lopes toco do cargo de vice governador de cabinda.muito bom trabalhador,eminente,e excelente diplomata sa os homens que jos eduardo confia.
estes governantes que comeram na Opa,depois passaram para JMPLA,bem formados competentes.
que jos eduardo lhe de um outro cargo,porque com a periia dele e muita sabedoria .tem levado as suas responsabilidades a bom porto.


Mbazu Lubota  2010-12-21 21:53:36
todos sao camada de burros

SMD  2010-12-16 12:06:33
Estas mudncas de cadeiras nao da em nada!o que o povo quer e a muda de mentalidade!

pai  2010-12-15 16:26:47
isto uma vergonha

PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais