Links teis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Poltica

Recorda Tratado de Simulambuco

FLEC pede a Marcelo Rebelo de Sousa para terminar o processo de descolonizao portuguesa

Lisboa - A Frente de Libertao do Enclave de Cabinda (FLEC) aproveitando a efemride do 131 aniversrio do Tratado de Simulambuco, assinado a 1 de Fevereiro de 1885, emitiu um comunicado onde recorda, ao Governo Portugus que o Tratado de Simulambuco um compromisso ainda vivo.

No mesmo documento, assinado por Jean Claude Nzita, porta-voz do movimento, refere que Portugal honrou os seus deveres com o povo de Timor-Leste mas Portugal traiu o povo de Cabinda, ignorando o Tratado de Simulambuco, tentou vender a soberania do povo de Cabinda que aceitou a sua proteo. Para a FLEC Portugal tambm tentou suprimir Cabinda simulando a sua integrao no territrio de Angola, mas Portugal no consegui extinguir Identidade do Povo de Cabinda nem o seu desejo de independncia.

Felicitando Marcelo Rebelo de Sousa pela vitria nas eleies em Portugal, a FLEC deseja que a sua presidncia seja marcada pela coragem e reparao dos erros passados do pas que vai presidir reconhecendo os direitos legtimos de Cabinda, refere o mesmo comunicado. O movimento da resistncia Cabinda afirma tambm que acredita que Marcelo rebelo de Sousa Sousa ir marcar com dignidade a sua presidncia terminando corajosamente o processo de descolonizao portuguesa inacabado reconhecendo os direitos e legitima soberania ltima colnia lusfona, Cabinda.

A 1 de fevereiro de 1885 Guilherme Augusto de Brito Capelo, representando a coroa portuguesa, assinou com os notveis de Cabinda (ex Congo Portugus) um tratado que colocava o enclave sob o protetorado portugus, um documento que ficara designado como o Tratado de Simulambuco em referncia uma localidade prxima cidade de Cabinda. Com este tratado Portugal pode reclamar os seus direitos neste territrio durante a partilha de frica na Conferncia de Berlim.

131 anos depois o Tratado de Simulambuco ainda o documento que suporta a argumentao independentista cabindesa que sustenta que Cabinda ainda um protetorado portugus, no integrado em Angola com a qual no tem uma ligao territorial terrestre.

(c) PNN Portuguese News Network

2016-02-02 15:45:05

MAIS ARTIGOS...
  Morreu Nzita Tiago, líder histórico da resistência cabindesa
  Guerrilha em Cabinda anuncia novos ataques no enclave
  Guerrilha cabindesa anuncia retoma da via militar
  Guerrilha cabindesa ataca em Buco Zau
  Emboscada da guerrilha causa a morte de três soldados angolanos
  Cabinda: FLEC/FAC exige a libertação de Marcos Mavungo
  Cabinda: Raul Tati e Francisco Luemba libertados
  França: Dois juízes antiterroristas querem a detenção de Rodrigues Mingas
  Cabinda: José Eduardo dos Santos demite e readmite Macário Romão Lembe
  Suíça: Manifestação cabindesa em Berna
  Cabinda: Ataque da resistência amplifica divisões na FLEC
  Cabinda: FLEC reconhece que a sua luta está numa «situação catastrófica»

Comentrios

Nome:

E-mail:

Comentrio:


PROVRBIOS
"Kupdi tmuka ko: Nti ava kamnina."
(Ningum pode arrancar: A rvore (adulta) que j tem razes.)
Outros
Relatrio da Mpalabanda 2005 (pdf)

Relatrio da Mpalabanda 2004 (pdf)

Entrevista de Dom Duarte ao IBINDA.COM
Cartoon
Hospedagem de Sites Low Cost Jornal Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor Leste Cabo VerdeMaputo Digital
Not�cias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais